UMA NOVA ERA DE VACINAS
PARA PORTUGAL

A Novavax, Inc. é uma empresa mundial de biotecnologia empenhada em ajudar a dar resposta às doenças infecciosas graves a nível mundial através da descoberta, do desenvolvimento e da distribuição de vacinas inovadoras a utilizadores de todo o mundo.

A nossa tecnologia

A nossa tecnologia de vacinas tira partido da nossa tecnologia exclusiva de nanopartículas à base de proteínas recombinantes e das propriedades promotoras da imunogenicidade do nosso adjuvante Matrix-M™.

Nanopartículas: A organização das proteínas recombinantes numa nanopartícula pode ajudar o sistema imunitário a reconhecer essa proteína-alvo a partir de diferentes ângulos1 — da mesma forma que o sistema imunitário detetaria os detalhes de um agente patogénico real. Nas nossas vacinas não há nenhum vírus real, apenas a proteína; por esse motivo, não é possível estas vacinas causarem a doença.

Adjuvante Matrix-M™: O nosso adjuvante Matrix-M provém das saponinas, compostos que ocorrem naturalmente na casca da árvore Quillaja saponaria (quilaia ou árvore-do-sabão-do-chile), vulgarmente encontrada no Chile. Há muito tempo que as saponinas são utilizadas pelas suas propriedades medicinais.2 A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) já aprovou uma vacina com outro adjuvante à base de saponinas.3

As nossas áreas de investigação

O mundo precisa urgentemente de novos instrumentos para ajudar a resolver alguns dos nossos maiores desafios em termos de doenças infecciosas. Na Novavax, utilizamos a nossa tecnologia exclusiva para dar resposta às ameaças de saúde pública atuais, emergentes e futuras. A Novavax realiza continuamente ensaios clínicos e investigação e reúne dados do mundo real para desenvolver vacinas que dêem resposta às ameaças de saúde pública. Os cientistas dos nossos programas de investigação e desenvolvimento (I&D), estão empenhados no fornecimento eficiente de novas vacinas, ao mesmo tempo que preservam a segurança dos participantes nos nossos ensaios clínicos.

Our areas of research
Resumo sobre a COVID-194-6
icon of cold virus

Agente patogénico: Coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2
(SARS-CoV-2)

Localização: Em todo o mundo

Transmissão: Inalação de gotículas que contêm o vírus, transmitidas pelo ar e dispersadas ao tossir, espirrar ou falar, entre pessoas em contacto próximo; ambientes inadequadamente ventilados ou sobrelotados; contacto das mãos com superfícies contaminadas, propagando-se depois para os olhos, nariz ou boca através do toque

Epidemiologia mundial:

  • Até novembro de 2022, foram confirmados cerca de 628 milhões de casos de COVID-19 em todo o mundo. Destes, estima-se que quase 6,6 milhões tenham resultado em morte por COVID-19
  • Pode afetar pessoas de qualquer faixa etária; há um risco maior de doença grave nas pessoas com mais de 65 anos e em pessoas com doenças crónicas (hipertensão, doença cardíaca/pulmonar, diabetes, obesidade, cancro)

 

Resumo sobre a gripe sazonal7,8
icon of sars virus

Agente patogénico: Vírus da gripe A e vírus da gripe B

Localização: Em todo o mundo

Transmissão: Inalação de gotículas que contêm o vírus, transmitidas pelo ar (até 1 metro de distância) e dispersadas pela tosse e espirros de pessoas infetadas; contacto com mãos contaminadas pelo vírus

Epidemiologia mundial:

  • Epidemias sazonais todos os invernos em climas temperados; durante todo o ano em climas tropicais
  • Estima-se que as epidemias anuais causem 3 a 5 milhões de casos de doença grave em todo o mundo
  • Até 500 000 mortes por ano relacionadas com a gripe
  • Risco mais elevado de complicações em mulheres grávidas, crianças com menos de 5 anos e pessoas com mais de 65 anos
  • Os profissionais de saúde têm um risco mais elevado de contrair gripe
Resumo sobre o VSR9-13
icon of rsv virus

Agente patogénico: Vírus sincicial respiratório (VSR)

Localização: Em todo o mundo

Transmissão: Tosse e espirros de pessoas infetadas; contacto das mãos com superfícies rígidas ou moles; segue um padrão sazonal de epidemias anuais, com pico nos meses de inverno

Epidemiologia mundial:

  • Quase todas as crianças são infetadas pelo VSR pelo menos uma vez nos primeiros 2 anos de vida
  • Devido à ausência de testes de rotina, é difícil quantificar o peso da doença
  • O VSR é uma das principais causas de infeção das vias respiratórias inferiores (IVRI) em bebés e crianças pequenas, tendo um impacto significativo nas pessoas com mais de 60 anos
  • Estima-se que as IVRI associadas ao VSR tenham sido responsáveis por cerca de 94 600 a 149 400 mortes em crianças com menos de cinco anos em 2015
  • Estima-se que, em 2005, tenha havido 33,8 milhões de IVRI associadas ao VSR, que resultaram em 3,4 milhões de internamentos de crianças com menos de cinco anos em todo o mundo
Resumo sobre o MERS14-17
icon of mers virus

Agente patogénico: Coronavírus da síndrome respiratória do Médio Oriente (MERS-CoV)

Localização: 27 países do Médio Oriente, de África e do Sul da Ásia; 80% dos casos registados na Arábia Saudita

Transmissão: Contacto direto ou indireto com dromedários infetados; contacto pessoa-a-pessoa pouco frequente em ambiente doméstico e estabelecimentos de cuidados de saúde

Epidemiologia:

  • Desde a primeira notificação de um surto em 2012, há conhecimento de 858 mortes por MERS-CoV e complicações relacionadas com a doença
  • A taxa de letalidade (TL) atinge os 35%
  • A MERS afeta pessoas de ambos os sexos (64,5% dos casos registaram-se em homens) e de todas as faixas etárias, sendo mais grave em pessoas mais idosas e com comorbilidades, como obesidade, diabetes, doença cardíaca e pulmonar ou um sistema imunitário debilitado.
Resumo sobre a SARS18-20
icon of sars virus

Agente patogénico: Coronavírus da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV)

Localização: China, RAE de Hong Kong, Taiwan, Singapura, Canadá, casos limitados noutros países da Ásia, Europa, EUA

Transmissão: Transmissão aérea através de gotículas de saliva; contacto das mãos com superfícies contaminadas; a trajetória da epidemia de 2003 foi relacionada com as rotas de tráfego aéreo; clara possibilidade de novos surtos

Epidemiologia:

  • O surto de SARS em 2003 causou mais de 8000 infeções e 800 mortes
  • Estima-se que a taxa de letalidade (TL) atinja os 9,6%
  • A maior parte dos doentes eram adultos anteriormente saudáveis entre os 25 e os 70 anos
Resumo sobre a malária21
icon of malaria virus

Agente patogénico: Espécies de Plasmodium (conhecem-se cinco espécies de Plasmodium que causam a malária; destas, P. falciparum e P. vivax constituem as maiores ameaças)

Localização: África Subsariana (94% dos casos), Sudeste Asiático, Mediterrâneo Oriental, Pacífico Ocidental, Américas (ou seja, as regiões mais quentes do mundo)

Transmissão: Picadas de fêmeas do mosquito Anopheles infetadas

Epidemiologia:

  • Estima-se que, em 2019, tenha havido 229 milhões de casos de malária a nível mundial
  • Estes resultaram em 409 000 mortes por malária
  • As crianças com menos de 5 anos constituem o grupo mais vulnerável afetado pela malária, representando dois terços das mortes causadas por malária em todo o mundo
  • O financiamento total para o controlo e a erradicação da malária atingiu um valor estimado de 3 mil milhões de dólares em 2019

 

Resumo sobre a doença por vírus Ébola22,23
Ebola virus disease illustration Novavax

Agente patogénico: Vírus Ébola

Localização: África Central, África Ocidental

Transmissão: O vírus Ébola propaga-se dos animais selvagens para o ser humano e por transmissão pessoa-a-pessoa através do contacto com sangue e fluidos corporais ou objetos contaminados

Epidemiologia

  • Durante o último meio século, houve mais de 43 surtos de doença por vírus Ébola na África Equatorial
  • O maior surto até agora ocorreu na África Ocidental e causou 28 652 infeções e 11 325 mortes entre 2013 e 2016
  • A taxa de letalidade (TL) estimada é de 40%–50%
  • O surto custou à economia da Guiné, da Libéria e da Serra Leoa um valor estimado de 2,2 mil milhões de dólares em 2015

As nossas áreas de investigação anteriores e atuais

Resumo sobre a COVID-194-6
icon of cold virus

Agente patogénico: Coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2
(SARS-CoV-2)

Localização: Em todo o mundo

Transmissão: Inalação de gotículas que contêm o vírus, transmitidas pelo ar e dispersadas ao tossir, espirrar ou falar, entre pessoas em contacto próximo; ambientes inadequadamente ventilados ou sobrelotados; contacto das mãos com superfícies contaminadas, propagando-se depois para os olhos, nariz ou boca através do toque

Epidemiologia mundial:

  • Até novembro de 2022, foram confirmados cerca de 628 milhões de casos de COVID-19 em todo o mundo. Destes, estima-se que quase 6,6 milhões tenham resultado em morte por COVID-19
  • Pode afetar pessoas de qualquer faixa etária; há um risco maior de doença grave nas pessoas com mais de 65 anos e em pessoas com doenças crónicas (hipertensão, doença cardíaca/pulmonar, diabetes, obesidade, cancro)

 

Resumo sobre a gripe sazonal7,8
icon of sars virus

Agente patogénico: Vírus da gripe A e vírus da gripe B

Localização: Em todo o mundo

Transmissão: Inalação de gotículas que contêm o vírus, transmitidas pelo ar (até 1 metro de distância) e dispersadas pela tosse e espirros de pessoas infetadas; contacto com mãos contaminadas pelo vírus

Epidemiologia mundial:

  • Epidemias sazonais todos os invernos em climas temperados; durante todo o ano em climas tropicais
  • Estima-se que as epidemias anuais causem 3 a 5 milhões de casos de doença grave em todo o mundo
  • Até 500 000 mortes por ano relacionadas com a gripe
  • Risco mais elevado de complicações em mulheres grávidas, crianças com menos de 5 anos e pessoas com mais de 65 anos
  • Os profissionais de saúde têm um risco mais elevado de contrair gripe
Resumo sobre o VSR9-13
icon of rsv virus

Agente patogénico: Vírus sincicial respiratório (VSR)

Localização: Em todo o mundo

Transmissão: Tosse e espirros de pessoas infetadas; contacto das mãos com superfícies rígidas ou moles; segue um padrão sazonal de epidemias anuais, com pico nos meses de inverno

Epidemiologia mundial:

  • Quase todas as crianças são infetadas pelo VSR pelo menos uma vez nos primeiros 2 anos de vida
  • Devido à ausência de testes de rotina, é difícil quantificar o peso da doença
  • O VSR é uma das principais causas de infeção das vias respiratórias inferiores (IVRI) em bebés e crianças pequenas, tendo um impacto significativo nas pessoas com mais de 60 anos
  • Estima-se que as IVRI associadas ao VSR tenham sido responsáveis por cerca de 94 600 a 149 400 mortes em crianças com menos de cinco anos em 2015
  • Estima-se que, em 2005, tenha havido 33,8 milhões de IVRI associadas ao VSR, que resultaram em 3,4 milhões de internamentos de crianças com menos de cinco anos em todo o mundo
Resumo sobre o MERS14-17
icon of mers virus

Agente patogénico: Coronavírus da síndrome respiratória do Médio Oriente (MERS-CoV)

Localização: 27 países do Médio Oriente, de África e do Sul da Ásia; 80% dos casos registados na Arábia Saudita

Transmissão: Contacto direto ou indireto com dromedários infetados; contacto pessoa-a-pessoa pouco frequente em ambiente doméstico e estabelecimentos de cuidados de saúde

Epidemiologia:

  • Desde a primeira notificação de um surto em 2012, há conhecimento de 858 mortes por MERS-CoV e complicações relacionadas com a doença
  • A taxa de letalidade (TL) atinge os 35%
  • A MERS afeta pessoas de ambos os sexos (64,5% dos casos registaram-se em homens) e de todas as faixas etárias, sendo mais grave em pessoas mais idosas e com comorbilidades, como obesidade, diabetes, doença cardíaca e pulmonar ou um sistema imunitário debilitado.
Resumo sobre a SARS18-20
icon of sars virus

Agente patogénico: Coronavírus da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV)

Localização: China, RAE de Hong Kong, Taiwan, Singapura, Canadá, casos limitados noutros países da Ásia, Europa, EUA

Transmissão: Transmissão aérea através de gotículas de saliva; contacto das mãos com superfícies contaminadas; a trajetória da epidemia de 2003 foi relacionada com as rotas de tráfego aéreo; clara possibilidade de novos surtos

Epidemiologia:

  • O surto de SARS em 2003 causou mais de 8000 infeções e 800 mortes
  • Estima-se que a taxa de letalidade (TL) atinja os 9,6%
  • A maior parte dos doentes eram adultos anteriormente saudáveis entre os 25 e os 70 anos
Resumo sobre a malária21
icon of malaria virus

Agente patogénico: Espécies de Plasmodium (conhecem-se cinco espécies de Plasmodium que causam a malária; destas, P. falciparum e P. vivax constituem as maiores ameaças)

Localização: África Subsariana (94% dos casos), Sudeste Asiático, Mediterrâneo Oriental, Pacífico Ocidental, Américas (ou seja, as regiões mais quentes do mundo)

Transmissão: Picadas de fêmeas do mosquito Anopheles infetadas

Epidemiologia:

  • Estima-se que, em 2019, tenha havido 229 milhões de casos de malária a nível mundial
  • Estes resultaram em 409 000 mortes por malária
  • As crianças com menos de 5 anos constituem o grupo mais vulnerável afetado pela malária, representando dois terços das mortes causadas por malária em todo o mundo
  • O financiamento total para o controlo e a erradicação da malária atingiu um valor estimado de 3 mil milhões de dólares em 2019

 

Resumo sobre a doença por vírus Ébola22,23
Ebola virus disease illustration Novavax

Agente patogénico: Vírus Ébola

Localização: África Central, África Ocidental

Transmissão: O vírus Ébola propaga-se dos animais selvagens para o ser humano e por transmissão pessoa-a-pessoa através do contacto com sangue e fluidos corporais ou objetos contaminados

Epidemiologia

  • Durante o último meio século, houve mais de 43 surtos de doença por vírus Ébola na África Equatorial
  • O maior surto até agora ocorreu na África Ocidental e causou 28 652 infeções e 11 325 mortes entre 2013 e 2016
  • A taxa de letalidade (TL) estimada é de 40%–50%
  • O surto custou à economia da Guiné, da Libéria e da Serra Leoa um valor estimado de 2,2 mil milhões de dólares em 2015
Como contactar a Novavax
Questões de caráter geral

+351 21 145 2321
Das 09:00 às 17:00
De segunda a sexta-feira

Estão disponíveis mais informações no nosso website global, novavax.com.

A nossa localização: 
Novavax CH GmbH
Fraumünsterstrasse 16
8001 Zurique
Suíça

Contactos para a comunicação social
Contacto para investidores

Para contactar um membro da nossa equipa de relações com investidores, clique no botão «Contacte-nos» abaixo.

  1. Krueger S, et al. Structural characterization and modeling of a respiratory syncytial virus fusion glycoprotein nanoparticle vaccine in solution. Mol Pharm. 2021;18(1):359–376.
  2. Marciani DJ. Elucidating the mechanisms of action of saponin-derived adjuvants. Trends Pharmacol Sci. 2018;39(6):573-585.
  3. Shingrix. Resumo das Características do Medicamento. GSK; 2017.
  4. World Health Organization. WHO Coronavirus (COVID-19) Dashboard. https://covid19.who.int [Consultado em novembro de 2022].
  5. Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Scientific Brief: SARS-CoV-2 Transmission. https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/science/science-briefs/sars-cov-2-transmission.html [Consultado em novembro de 2022].
  6. CDC. People with Certain Medical Conditions. https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/need-extra-precautions/people-with-medical-conditions.html [Consultado em julho de 2022].
  7. World Health Organization. Influenza (seasonal). Disponível em: https://www.who.int/en/news-room/fact-sheets/detail/influenza-(seasonal) [Consultado em novembro de 2022].
  8. Krammer F, et al. Influenza. Nat Rev Dis Primers. 2018;4(1):3.
  9. Borchers AT, et al. Respiratory syncytial virus—a comprehensive review. Clin Rev Allergy Immunol. 2013;45:331–379.
  10. Verwey C, Nunes M. RSV lower respiratory tract infection and lung health in the first 2 years of life. Lancet Glob Health. 2020;8(10):e1247–1248.
  11. Fasley A, Walsh E. Respiratory syncytial virus infection in elderly adults. Drugs Aging. 2005;22:577–587.
  12. Shi T, et al. Global, regional and national disease burden estimates of acute lower respiratory infections due to respiratory syncytial virus in young children in 2015; a systematic review and modelling study. Lancet. 2017;390(10098):946-958.
  13. Gonik B. The burden of respiratory syncytial virus infection in adults and reproductive-aged women. Glob Health Sci Pract. 2019;7(4):515-520.
  14. Azhar EI, et al. The Middle East respiratory syndrome. Infect Dis Clin North Am. 2019;33:891–905.
  15. Memish ZA, et al. Middle East respiratory syndrome. Lancet. 2020;395:1063–1077.
  16. Chafekar A, Fielding BC. MERS-CoV: Understanding the latest human coronavirus threat. Viruses. 2018;1093.
  17. Schindewolf C, Menachery VD. Middle East respiratory syndrome vaccine candidates: cautious optimism. Viruses. 2019;11:74.
  18. Weiss SR, Navas-Martin S. Coronavirus pathogenesis and the emerging pathogen severe acute respiratory syndrome coronavirus. Microbiol Mol Biol Rev. 2005;69:635–664.
  19. World Health Organization. Summary of probable SARS cases with onset of illness from 1 November 2002–31 July 2003. 24 July 2015. Disponível em: https://www.who.int/publications/m/item/summary-of-probable-sars-cases-with-onset-of-illness-from-1-november-2002-to-31-july-2003 [Consultado em novembro de 2022].
  20. World Health Organization. Severe Acute Respiratory Syndrome (SARS). Disponível em: https://www.who.int/health-topics/severe-acute-respiratory-syndrome#tab=tab_1 [Consultado em novembro de 2022].
  21. World Health Organization. Malaria fact sheet. Disponível em: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/malaria [Consultado em novembro de 2022].
  22. Jacob ST, et al. Ebola virus disease. Nat Rev Dis Primers. 2020;6:13.
  23. CDC. Cost of the ebola epidemic. Disponível em: https://www.cdc.gov/vhf/ebola/history/2014-2016-outbreak/cost-of-ebola.html [Consultado em novembro de 2022].